jump to navigation

2009 – Quantas mais más surpresas vamos receber ? Janeiro 8, 2009

Posted by rivercastell in Reflexões.
Tags: ,
add a comment

Já não actualizava o blog há bastante tempo, mas a verdade é que depois de publicar um post sobre a Raquel Tavares, tudo o resto parace desinteressante. 🙂 A propósito comprei um cd da Raquel depois de não comprar música há muito … muito tempo. Mas pensei logo que tinha de ter o CD original.

Voltando ao tema do Post. O Segundo semestre de 2008 foi muito mal, catastrófico do ponto de vista financeiro e economico.
Durante várias vezes desta crise, pensei que não era possível descer mais baixo, mas logo aparecia uma nova noticia ainda pior.

Este foi o ano da desacreditação do sistema bancário em todo o mundo.
Este foi o ano em que a palavra Banco deixou de inspirar confiança e segurança. No caso Português O BPN e o BPP, foram os piores entre os piores, um por alegada fraude, falsificação e outro por brincar ao Monopoly todo o dinheiro dos seus Cliente.
A pergunta que deixo no ar é : Depois destes incidentes quem é que vai confiar o seu dinheiro neste Bancos ?

O Caso Madoff foi o pior entre todos, e foi possivelmente, o que causou maior mossa no sistema finaceiro internacional. Madoff teceu a sua teia dentro do sistema, com o apoio e a supervisão do sistema, e ninguem deu por nada, durante vinte anos. Um cancro silencioso dentro do sistema financeiro, que foi proliferando sem que nenhum dos exames médicos, dos melhores especialistas do mundo, dessem por ele!

Esta semana estive a ver a entrevista do José Socrates na SIC e, mais uma vez, acho que este homem é um politico dos quatro costados. Isto não é uma critica nem um elogio, é simplesmente uma observação. Após os debates estive a ver os comentários de vários especialistas e comentadores e cheguei à conclusão, que todos aqueles que eram especializados em Economia, eram unânimes em afirmar que ele estava a fazer o que era certo.

Todos sabemos que estamos em tempos muito difíceis e, é preciso ter alguem a liderar que seja optimista e reactivo, e nisto o nosso Primeiro Ministro, tem sido exemplar.
A grande critica nesta crise não vai para o Governo, que na minha opinião, está a fazer o que se deve fazer, mas sim para a oposição que tem estado apagada, desorganizada, sem liderança, sem nada. O PSD ,que é o principal partido da oposição, tem a obrigação de ter uma papel mais activo neste momento difícil. Ttem a obrigação de esquecer as disputas partidárias e ajudar a levantar este país. Tem a obrigação de chamar a si os seu melhores elementos. Mas os delfins do PSD estão resguardados no seu cantinho porque sabem que se vierem para a ribalta nesta altura, serão carne para canhão.

É em tempos difíceis que se vê quem está cá para a luta e quem está cá só para aparecer na fotografia…

Anúncios